in

Estudo determina como os humanos podem viver mais de 150 anos

Viver Mais

A extensão da longevidade em humanos é uma questão que leva muitos a pensar que podemos nos manter em câmaras frias por muito tempo, para prolongar o tempo de vida na terra.

No entanto, um estudo publicado na revista Nature Communications, determinou como as pessoas podem viver mais de 150 anos.

O estudo em questão levou em conta dados de exames de sangue e informações sobre exercícios físicos de algumas pessoas, para identificar uma nova medida da “idade biológica”.

De acordo com Peter Fedichev, o principal autor do estudo e pesquisador do Instituto de Física e Tecnologia de Moscou, ao reduzir a carga de doenças, obtemos uma capacidade incremental de melhorar a vida.

Segundo Fedichev e sua equipe, a humanidade poderia ir além do tratamento de doenças. Ele argumenta que, se seus resultados forem validados por outras pesquisas, as chances são de que os seres humanos possam viver por décadas.

Ainda mais do que a vida útil máxima que eles determinaram: 150 anos.

Como funcionou a pesquisa?

Para a realização do estudo, foram identificados padrões de envelhecimento e morbidade para extrair o máximo possível da “idade biológica” dos humanos.

Isso foi possível após a coleta de dados da análise das amostras de sangue de 544.398 participantes. Eles finalmente os combinaram com os dados fornecidos pelo uso de relógios inteligentes de outro subconjunto menor de seres humanos.

Depois disso, os pesquisadores usaram os dados para prever o aparecimento de várias doenças e determinar os padrões de como a “idade biológica” das pessoas parecia mudar com o tempo.

Determinou que a “idade biológica” é essencialmente a idade das células em seu corpo, ao invés de sua idade cronológica.

Portanto, para aumentar a expectativa de vida do ser humano, é necessário diminuir a idade biológica em relação à cronológica.

Quais são as opções de estilo de vida que podem fazer a diferença?

De acordo com pesquisas, se você começar a fazer coisas diferentes do que está acostumado, sua idade biológica pode mudar.

Por exemplo; se um humano começa a fumar tabaco, inicia um novo regime de exercícios ou mesmo muda para uma área mais rural, a idade biológica pode diminuir e aumentar com o tempo.

No novo estudo, os pesquisadores descobriram que um fator parecia conduzir as flutuações da idade biológica individual.

É um valor que os pesquisadores chamam de “Indicador quantitativo dinâmico do estado do organismo”.

A abordagem proposta pelos pesquisadores é encontrar uma maneira de lidar com a resiliência para viver mais. Pois existem problemas que vêm com a idade e que afetam os seres humanos como organismos.

Escrito por Paulo Freitas

Jornalista sempre em busca da informação, movido pelo universo curioso e antenado em temas de saúde.