in

Casal taiwanês se casa quatro vezes em 37 dias para prolongar a lua de mel

Casal taiwanês se casou quatro vezes em 37 dias para prolongar a lua de mel

Um casal taiwanês ansioso para aproveitar ao máximo o tempo livre concedido aos recém-casados, encontrou uma maneira curiosa de prolongar a lua de mel, casando-se quatro vezes em um período de 37 dias.

A história incomum, confirmada pelo Departamento de Trabalho de Taipei na semana passada, agora é a mais recente a se tornar viral e destacar brechas em leis que incluem cidadãos taiwaneses.

A princípio, as empresas taiwanesas oferecem oito dias de licença remunerada para recém-casados, seguindo os princípios de uma lei local.

De acordo com; o New York Times, a “licença-casamento” paga foi introduzida em Taiwan em 1984, como parte de outros benefícios trabalhistas, como feriados e licença para doença e luto.

Casal taiwanês se aproveitou da brecha da lei da lua de mel

Segundo as autoridades, um funcionário anônimo do banco decidiu burlar o sistema no ano passado, reivindicado um período total de 37 dias de licença remunerada.

Nesse sentido; cerca de oito dias para cada uma das núpcias, além disso; finais de semana inclusos.

O banco recusou seu pedido e o funcionário apelou para a Direção Geral do Trabalho de Taipei, que inicialmente multou seu empregador em 20.000 dólares taiwaneses, o equivalente a 3.900,00 reais, por violar as regras de licença.

A instituição financeira, que estava disposta a oferecer apenas oito dias de folga, disse que o homem havia “abusado” da lei.

Em um post no Facebook no início deste mês, Vivian Huang, vice-prefeita de Taipei, disse que estava “sem palavras” sobre o estratagema e a decisão.

“Nesse caso, é óbvio que o empregado deliberadamente usou a licença-casamento para lucrar com isso. Isso obviamente viola o princípio da boa fé”, escreveu ela.

Por fim; embora a multa contra o banco tenha sido retirada, o noivo não identificado está buscando indenização por sua licença, já que atualmente não há restrições sobre a frequência com que um empregado pode solicitar licença-casamento.

O caso movimentou as redes sociais

O caso gerou críticas acaloradas online ao funcionário do banco por se aproveitar de brechas legais e ao Departamento do Trabalho por emitir a multa.

“Inacreditável, esse cara é como brincar de casinha com seus casamentos e divórcios. E se ele quiser se casar e se divorciar todos os dias? Ele deveria ter licença médica em vez de licença-casamento”, dizia uma postagem em uma rede social.

O caso foi comparado ao chamado caos do salmão que tomou conta de Taiwan no mês passado.

Quando mais de cem pessoas, a maioria jovens, mudaram legalmente seus nomes de batismo para “Gui Yu” ou salmão.

Mudar o nome de alguém em Taiwan é relativamente fácil e aqueles que estão fazendo a mudança, estavam aproveitando a promoção de um restaurante que oferece sushi grátis para qualquer pessoa que tenha salmão em seu nome.

Alguns dos nomes com tema de salmão que as pessoas escolheram incluem “Salmon Prince”, “Salmon Fried Rice” e “Bao Cheng Gui Yu”.

 

Escrito por Paulo Freitas

Jornalista sempre em busca da informação, movido pelo universo curioso e antenado em temas de saúde.