in

Após escândalo de acusação de lavagem de dinheiro, Justiça de Goiás inocenta Padre Robson

Padre Robson

Nos últimos meses, um escândalo pairou na Igreja Católica, envolvendo o até então reitor da Basílica do Divino Pai Eterno, Padre Robson de Oliveira.

Em 21 de agosto desse ano, o popular padre foi acusado de lavagem dinheiro pelo Ministério Público de Goiás, por meio da Operação Vendilhões, por suspostamente movimentar cerca de R$ 2 bilhões em 10 anos, por meio da Afipe (Associação Filhos do Pai Eterno), com sede em Trindade (GO).

O caso foi investigado e na tarde de ontem (6), o Tribunal de Justiça de Goiás declarou a inocência do Padre Robson de Oliveira e portanto, foi arquivada a denúncia de lavagem de dinheiro, crimes de apropriação indébita, falsidade ideológica, organização criminosa e sonegação fiscal.

A decisão foi tomada em sessão virtual pelo desembargador Nicomedes Domingos Borges e acompanhada por unanimidade da 1ª Câmara Criminal do Tribunal.

Na decisão, Nicomedes afirmou que não existem provas suficientes de que o dinheiro doado pelos fiéis a Afipe, tinham desvios de finalidade.

“A Afipe se trata de uma associação civil evangelizador e, para atender às suas necessidades, poderá criar atividades como instrumento captador de recursos financeiros”, declarou o desembargador.

Em nota oficial, a Afipe disse que “continuará o trabalho de auditoria, reforma administrativa, implantação de governança e demais ações que estão em andamento na associação”.

Entenda a Operação Vendilhões

A Operação Vendilhões, deflagrada no fim de agosto pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público de Goiás (MP-GO), havia apontado que a Afipe recebia valores altos de doações dos fiéis, para a construção de uma nova basílica em Trindade.

De acordo com o Ministério Público, o valor de doações girava em torno de R$ 20 milhões, sendo que parte desses recursos, teriam sido desviados para a compra de fazendas e de uma casa de praia.

Em setembro passado, dois representantes do Vaticano estiveram no município de Goiás, para investigar a associação católica que até então era comandada pelo Padre Robson.

 

Escrito por Paulo Freitas

Jornalista sempre em busca da informação, movido pelo universo curioso e antenado em temas de saúde.